02/10/2007
 

NR-15 carece de mudanças urgentes.......
... POR SER IMPORTANTE INSTRUMENTO DE PREVENÇÃO.

A NR-15 é o maior compêndio técnico da Portaria 3.214. Contém 99 páginas na pu­blicação disponibilizada pelo site do Mi­nistério do Trabalho e Emprego. Em seus quase 30 anos de existência, recebeu pou­cas modificações permanecendo praticamente intacta até os dias de hoje. An­tes de apontar suas imperfeições, é necessário reconhecer que o seu texto foi mui­to bem escrito em 1977/1978, pois introduziu uma série de avanços ­técnicos e, se assim não fosse, já teria sido substi­tuída.

Porém, por muito tempo, a NR-15 foi uma ilustre desconhecida. No início dos anos 90, poucos profissionais tinham ­no­ção dos limites de tolerância adotados e das metodologias que deveriam ser utili­zadas para avaliar os agentes ambientais. Felizmente, o nível de conhecimento me­lho­rou muito nos últimos 10 anos, mas ainda hoje, há muitos prevencionistas que não têm a menor idéia de como medir ca­lor, vibrações, radiações, aerodispersói­des, gases e vapores.

Poucos são os cursos de Técnicos e En­genheiros de Segurança do Trabalho ou de Medicina e Enfermagem doReplica Bell & Ross BR02 watches
Replica Breitling Chronomat B01
Franck Muller Aeternitas Replica Watch
Lowest Cheap Fake Cartier Le Cirque watches
Breitling Bentley 6.75 Replica
Trabalho que possuem aulas de laboratório para ma­nuseio dos instrumentos de medição. Os conteúdos teóricos são pouco explora­dos pelos professores. Até mesmo o tema mais popular de Higiene Ocupacional no Brasil - o ruído - é mal interpretado por falta de ensino adequado. Como exemplo da falta de preparo temos a corriqueira afirmação de que o nível de ação é 80 dB-A. A NR-9 estabelece uma dose de 50%, valor mais abrangente que permite trabalhar com a redução do tempo de exposição e não somente com um nível específi­co de pressão sonora.

A parte dos agentes químicos, então, é es­tranha para muitos prevencionistas, enquanto os riscos biológicos nunca foram adequadamente tratados nem na recente NR-32.

Autor: Marcos Domingos da Silva

Ilustração: Beto Soares/Estúdio Boom

Leia o artigo na íntegra na edição de outubro da Revista Proteção.